fbpx
 

Saiba como a oratória para vendas pode impactar nos resultados

Saiba como a oratória para vendas pode impactar nos resultados

Você sabe se comunicar bem, ser compreendido e influenciar aqueles ao seu redor? Para muitas pessoas, essas características se restringem apenas aos empresários e palestrantes, mas isso não é verdade. Saber impactar positivamente e usar a oratória para vendas é essencial para aumentar o número de contratos fechados do seu negócio.

No entanto, sabemos que essa não é uma tarefa fácil. Por isso, a Orin separou algumas dicas de como melhorar sua oratória para vendas e os principais motivos para você começar a fazer isso agora mesmo. Confira!

 

Entenda a importância da oratória para vendas 

Melhorar sua capacidade de se conectar e de se comunicar com as pessoas é essencial na vida pessoal e profissional. Essa discussão é antiga e foi tema principal do livro “Como fazer amigos e influenciar pessoas”, escrito em 1936 por Dale Carnegie – e que até hoje é aclamado pela crítica. 

Ao utilizar a oratória para vendas, o consultor comercial logo vai perceber que suas mensagens serão recebidas com mais facilidade — influenciando positivamente no acordo que está sendo discutido. Isso também aumenta a credibilidade de quem está falando, pois transmite mais confiança no seu trabalho. 

Não à toa, quem domina esse tipo de habilidade vê sua carreira acelerar. Saber se expressar é pré-requisito e, em diversos momentos, os recrutadores e os líderes colocam a comunicação do candidato à prova. O mesmo ocorre com os clientes: eles sempre vão preferir conversar com alguém que sabe transmitir suas ideias de modo claro, simples e cativante. 

 

6 dicas de oratória para vendas

Como vimos acima, ampliar as técnicas de oratória para vendas e tomar consciência do impacto de se expressar corretamente é muito importante. Os representantes comerciais que seguirem as seis dicas a seguir sentirão um salto positivo em suas relações pessoais e profissionais.

1. Comece pela apresentação

Não podemos negar que a aparência pode influenciar no fechamento ou não de um negócio. Porém, ao contrário do que muitos pensam, isso não significa que é necessário ter roupas e acessórios de marca — um traje limpo e bem asseado basta, independente de onde foi comprado. 

Também é preciso usar a oratória para vendas logo na apresentação, pois a primeira impressão é a que fica. Tire um tempo no início da conversa para se apresentar, listar alguns dos seus principais clientes e reforçar o objetivo daquele encontro. Além de passar credibilidade, você lembra os envolvidos o porquê deles estarem ali e dá o tom da reunião.

2. Demonstre domínio sobre o assunto

Sem domínio sobre o produto ou serviço a ser ofertado, nem a oratória para vendas pode salvar o contrato. O profissional precisa estudar tudo o que envolve o processo de venda, e não apenas o produto ou serviço e a empresa para qual trabalha. Isso inclui o mercado, os principais concorrentes e também quem é o cliente com quem ele vai conversar. 

Com essas informações em mente, é hora de trabalhar na estrutura do discurso. Isso não significa decorar fala por fala, e sim organizar os tópicos que serão abordados, criando conexões persuasivas entre eles.

3. Mantenha a postura

Engana-se quem pensa que oratória para vendas envolve apenas o que é dito. A expressão corporal e a postura adotadas durante a conversa também exercem grande influência, e o vendedor precisa prestar atenção nesses detalhes.

Evite olhar para o celular ou relógio, pois isso pode ser interpretado como sinal de impaciência. Cenho franzido, lábios contraídos e corpo rígido devem ser evitados através de alongamentos diários. Lembre-se que o inconsciente capta esses tipos de comportamento, o que pode influenciar de forma negativa na percepção do cliente. 

4. Inclua “palavras-gatilho” no discurso

Todos os dias, somos bombardeados com milhares de escolhas. Para evitar que entremos em “curto-circuito”, o cérebro filtra quais decisões realmente precisam de uma atenção especial. Com as demais, ele entra no “piloto automático” e as realiza como costuma fazer.

Ou seja, os gatilhos mentais ajudam o nosso cérebro na hora de tomar decisões e atitudes. Esse tipo de conhecimento é essencial no campo da oratória para vendas, pois permite que você inclua no seu discurso palavras com alto poder de persuasão. Por exemplo: imediato, grátis, comprovado, urgente, escasso, entre outras. 

5. Pense como seu cliente

Essa é uma das dicas mais importantes para quem quer usar a oratória para vendas: cada cliente é de um jeito. Com tantos compromissos no dia a dia, é normal que os profissionais criem um padrão de discurso. Porém, isso não é o indicado. 

Entenda que a mesma solução não serve para todos, pois cada empresa possui seus próprios processos e pontos de atenção. É preciso estudar cada potencial cliente para saber o que indicar para cada um deles, bem como possíveis objeções que eles levarão para a mesa. Isso vai te deixar mais seguro na hora da negociação.

6. Faça um curso especializado

Caso você esteja com dificuldade de seguir sozinho as dicas de oratória para vendas, pode se beneficiar de cursos voltados para a área. O mercado está repleto deles, por isso procure referências para identificar quais são os melhores. Pesquise o nome dos palestrantes e seu histórico profissional, bem como a opinião de outras pessoas sobre o curso ofertado.

Lembre-se de que um bom treinamento precisa explicar quais são e como utilizar os pilares de uma boa comunicação. Especialmente em situações como negociações e vendas, que exigem grande exposição da fala. Dê preferência para os cursos que propõe práticas de apresentação, para que você veja como a oratória para vendas funciona em situações da vida real.

Como você pode perceber, a oratória para vendas traz grande impacto para a sua empresa! Isso não significa que seus vendedores devem adotar o mesmo estilo ou discurso padrão, pelo contrário. É importante que a personalidade da pessoa seja incorporada ao seu modo de falar para passar mais originalidade ao cliente. 

Afinal, ninguém gosta de falar com quem parece um robô, não é mesmo? 

Se esse conteúdo te ajudou, deixe um comentário ou compartilhe com mais pessoas. E caso tenha alguma dúvida sobre o texto, também comente aqui abaixo que será um prazer te responder!

Lucas Bragagnolo

Formado em Administração, com ênfase em Empreendedorismo e Inovação pela FSG, especialista em Gestão Empresarial, Gestão de Marcas, Marketing Digital, Inbound Marketing, Comportamento e Liderança Pessoal.

Sem comentários

Deixe um comentário